Meu humor



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, IMPERATRIZ, Homem, de 20 a 25 anos, Esportes, Música, livros



Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Charges
 Jornal O Progresso
 Representações
 Palmeiras
 Vinícius de Moraes
 Diogo Mainardi
 Escute Banda Antiquários pop/rock
 Blog do Josias
 Jan Ricardo
 Arnaldo Jabor ( Crônicas em Áudio)
 Blogs Legais UOL
 Isnande Barros




Blog do Phelippe Duarte
 


MERECE UMA VAGA À COPA? SÓ OLHE OS JOGOS DESTA TEMPORADA DE RONALDINHO NO MILAN.

 

http://www.youtube.com/watch?v=B8g0g_DRECo&feature=related



Escrito por Phelippe Duarte às 05h39 PM
[] [envie esta mensagem
] []





MAIS UM BRASILEIRO NA COPA

Gilberto Gil vai estar no show de abertura da Copa do Mundo de 2010, em Joanesburgo, na África do Sul. O espetáculo deve ter mais de três horas de duração e vai ocorrer no Orlando Stadium, em Soweto, com capacidade para mais de 30 mil expectadores. Toda a renda adquirida vai ser revertida para a “20 Centre for 2010″, que busca trazer melhorias para a África através do futebol.

O show vai acontecer no dia 10 de junho, véspera da abertura da Copa do Mundo com o jogo entre África do Sul e México, no estádio Soccer City. Além de Gilberto Gil, o show vai ter muitas estrelas da música internacional: a colombiana Shakira, o grupo norte-americano Black Eyed Peas, John Legend e a cantora Alicia Keys, que está praticamente certa, estão na lista.



Escrito por Phelippe Duarte às 02h57 PM
[] [envie esta mensagem
] []





Ela

 

Ela foi

O sonho que sonhei

E a realidade que evitei

As lembranças tão estranhas

Um sentimento vago de eternidade

 

Ela foi

Todo o lado bom que me restou

E toda a saudade que não ficou

O beijo que meus lábios não esqueceram

A paixão que me enlouqueceu

 

 

Ela foi

O sorriso mais triste

A hipocrisia mais verdadeira

Partida sem ida

Uma vida sem vida

 

Ela foi

Maior do que meu querer

Bem mais do que eu imaginei

Ela foi tudo que eu quis

Quando sonhei

Em não tê-la mais

 

Ela me deixou a paz

Mas não em paz

Pois meu coração tem o formato dela

Rasuras de um peito que chora

Dias iguais são tão diferentes

 

 

Ela foi

Alguém que mudou meu mundo

Um caso profundo

Que o acaso levou

Mas foi bem melhor este fim

Já estava na hora de cuidar de mim.

 

Phelippe Duarte

 



Escrito por Phelippe Duarte às 02h50 PM
[] [envie esta mensagem
] []





Flamengo e Corinthians

Não há como não falar deste assunto. Depois da classificação do Flamengo,Ronaldo se queixou de críticas ao seu respeito e em especial,a suposta falta de comprometimento,que pelo seu peso,parece ser mais do que uma suposição. Mas Ronaldo é um ídolo brasileiro e mundial.Um dos maiores jogadores que o mundo já viu. Mas o que acontece,é que ainda está em atividade. E se,ainda está em atividade,é sujeito a críticas,e o que fez como jogador,ainda é passado. Quando Ronaldo parar de jogar,ai sim,será visto pelo que fez no auge e as lutas para dar a volta por cima,o que de longe,já o faria um dos melhores.

Nesta entrevista abaixo,Ronaldo reclama e se emociona,ao falar de si e de seu comprometimento. Clique e veja no link.

http://espnbrasil.terra.com.br/corinthians/noticia/119516_VIDEO+RONALDO+SE+EMOCIONA+EM+ENTREVISTA+E+PEDE+MAIS+RESPEITO+DOS+BRASILEIROS+COM+SEUS+IDOLOS#video



Escrito por Phelippe Duarte às 02h47 PM
[] [envie esta mensagem
] []





INTERROGAÇÃO

 

O momento é estranho. As pessoas esquecem do amor. Elas procuram conforto na dor,na partida,na solução mais imprópria.O susto é inevitável,queremos fazer algo,mas o tremor das mãos não deixa-nos pensar. O egoísmo de quem se vai,não pensa no amor de quem está por perto.

O peso de uma partida,confunde-se com a saudade intensa. Existem pessoas que esperam mais da vida,mais dos dias,mais de si mesmas.E quando vêem que não há saída,buscam métodos mortais,sem saber,que do seu lado,está o amor que sempre procurou a vida inteira,e lá nos céus,o amor que o fez. E não se sabe na partida,qual será o verdadeiro amor que encontrará.

Não existem normas para certas situações. Nem palavras certas que possam acalentar momentos incertos. Há amigos desconhecidos ao semblante abatido,da pessoa que quer partir. Desconhecidos,pelo fato de que seus olhos já não enxergam mais um palmo,a não ser o que procura. E vira saudade então,aquele momento em que não abraçamos quando tivemos que abraçar,não beijamos quando tivemos que beijar,não escutamos quando tivemos que escutar. Vira tristeza,os momentos que viramos as costas,ignoramos o olhar pedindo ajuda,as vestes pedindo costuras,os sonhos pedindo apenas um travesseiro para terminar de sonhar.

É tão íntimo e não um privilégio,saber usar a ocasião do abandono,para tentar tirar-se do mundo que vive. Privilégio,seria se um pedido de ajuda,fosse um simples bom dia,boa tarde ou boa noite. Mas quem sabe,não foi pedido? E não ouvido? É difícil analisar uma mordaça que fala. É o mesmo que um cego te pedir atenção,quando você atravessar uma rua. Não há o que entender,numa situação tão íntima e tão desesperadora. Um coração vazio é um poço sem fundo,cheio de lodo,mágoas que grudam e não despregam do peito abatido.

É um assunto,que não agrada. Assassinar ainda é em nossa visão sentimental,mais comum do que tirar a própria vida. Uma lembrança que machuca,que castiga a beleza de se ter uma lembrança boa. Às vezes o que pensamos ser,nunca realmente é o que parece. A felicidade pode ser uma atrocidade,esperando a hora de ir. A calma,pode ser a conformação de uma alma,já em despedida da vida. O sorriso leve e as brigas infantis caladas,deveriam ser o silêncio como premissa,à espreita do fim.

Acredito que em algum lugar bem distante,as pessoas que se vão com o consentimento próprio,acabam encontrando a paz que nunca viram aqui na Terra. Vão embora,numa caminhada onde a luz ainda demorará para aparecer,mas será um novo horizonte de amor,para acalentar a insatisfação que foi viver. Não tenho certeza, nem soberba suficiente para alimentar este tipo de ideia. Só em meu olhar caído,na lembrança de ter deixado a vida levar alguém que tanto eu amava,penso em dar valor a quem ficou,na reinvenção de uma nova estrada. O suicídio é uma arma egoísta. E deve ser mantida longe de nós. O poeta imperatrizense Leonildo Alves,escreve perfeitamente em seu livro Contato Inicial,sobre a vida e a morte:

 

“ ...E assim,na minha decisão de vida

Procuraria as melhores opções de viver:

Viveria na calma,de forma descontraída

Sem me lembrar dessa porra de morrer.

Portanto,deixo o meu protesto aqui

Pra quem quiser saber e questionar,

Ta errado,ta errado essa forma de existir:

Deveríamos viver eternamente,para mais amar.”

 

 

A poesia,é uma arma do amor contra tudo. E deve ser mantida,perto de nós.

 

Phelippe Duarte



Escrito por Phelippe Duarte às 05h33 PM
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]